13 de abril de 2013

Verme da Mongólia



O verme da Mongólia, allghoi, orghoi ou khorkhoi (хорхой) é um criptídeo venenoso de existência não comprovada e que viveria no deserto de Gobi, na Mongólia. A lenda surgiu de nômades que diziam ter avistado a criatura na região.

O verme teria em média de 0,5 a 1 metro de comprimento, se assemelharia a uma minhoca vermelha e liberaria descargas elétricas que seriam mais fracas que a de um peixe-elétrico. Porém ela lança um ácido que corroe qualquer material que toca e mata um ser humano.



Dependendo das versões, ela teria espinhos na cauda e teria manchas pretas pelo corpo.

O explorador Roy Chapman Andrews foi o primeiro a relatar a existência da criatura em público. Ele descreveu a criatura da seguinte maneira:

"Tem o formato de uma salsicha e tem aproximadamente meio metro de comprimento, não possui cabeça ou pernas e é tão venenoso que apenas um toque pode levar à morte instantânea. Vive nas áreas mais isoladas do Deserto de Gobi..."


Ele conta isso em seu livro de 1926 chamado On the Trail of the Ancient Men (Na Trilha do Homem Antigo) onde conta relatos dos nômades quando esteve na Mongólia.



Ivan Mackerle, um explorador da Tchecoslováquia tentou fazer com que o verme viesse à superfície usando explosivos, mas não teve sucesso. Tentou novamente em 2004, fotografar o verme de um avião, mas não achou nada. Ele descreve a criatura com maneiras estranhas de se locomover, como se arrastando pela areia ou espremendo suas extremidades para se locomover.

Alguns dizem que o verme hiberna o ano todo, ativo apenas em Junho e Julho. Dizem também que ele sai durante ou depois da chuva, pois deixaria sua descarga elétrica bem mais perigosa.

CRYPTOZOOLOGY IS OUTWORLD

2 comentários :

  1. Putz grilo, nunca conseguirei viajar pra mongolia sem temer essa minhoca loka

    ResponderExcluir